quarta-feira, outubro 11, 2006

A história de Vou Festejar

Beth Carvalho gravou, em 1978, De pé no chão. Dentre os sucessos do disco está Vou festejar, composição de Neoci, Dida e Jorge Aragão. Alguns anos depois, a música se tornava o segundo hino da torcida mais apaixonada do Brasil – a do Atlético Mineiro. Por qual motivo? Vejamos.

Em 5 março de 1978, terminava, com atraso, o Campeonato Brasileiro de 1977. Naquele ano, por influência da ditadura militar, o campeonato foi inchado, disputado por 62 clubes. Na grande final, o Atlético, time que tinha a melhor campanha, a melhor defesa, o melhor ataque e o artilheiro da competição (Reinaldo, com 28 gols em 17 jogos), recebeu o São Paulo, que estava 10 pontos atrás na tabela.

Valesse o regulamento atual por pontos corridos, o Atlético seria campeão naquele ano. Mas devido aos caprichos do futebol, o jogo terminou em zero a zero e a disputa foi para os pênaltis. Os 113 mil torcedores atleticanos viram a derrota do Galo por 3 a 2 e o São Paulo foi campeão.

No ano seguinte, a charanga do Galo, encarregada de animar a torcida, levou para o Mineirão a música interpretada por Beth Carvalho, acompanhada em coro pelos atleticanos.

E, se não deu pra levar o título nacional, pelo menos em seu estado o esquadrão atleticano não fez feio. Venceu os campeonatos mineiros de 78, 79 e 80, quando então voltou à final do Brasileiro, desta vez contra o Flamengo. Os dois times estavam equilibrados na tabela e a final até hoje é apontada como a mais emocionante da história do Brasileirão. A equipe de Zico venceu a decisão no Maracanã por 3 a 2. Reinaldo, mesmo machucado, fez dois gols na ocasião.

Após aquela final, os torcedores do principal rival do Atlético, o Cruzeiro, começaram a torcer pelo Flamengo, já que o time da raposa sequer poderia dar alguma alegria àquela altura dos acontecimentos.

E, no ano seguinte, o Atlético, que viria a faturar o tetracampeonato mineiro, volta a encarar o Flamengo em uma decisão, desta vez valendo a classificação para as finais da Taça Libertadores da América. Os dois times tinham craques e formavam a base do que viria a ser a seleção brasileira de Telê Santana na Copa de 82, o melhor esquadrão canarinho de todos os tempos.

O confronto entre os dois aconteceu em campo neutro: o estádio Serra Dourada, em Goiânia. Um forte cheiro de armação já contaminava a decisão dias antes de a partida começar. O juiz, José Roberto Wright, atual comentarista da Rede Globo, viajou para Goiás no mesmo avião da delegação do Flamengo e ambos se hospedaram no mesmo hotel.

O resultado em campo foi só a complementação do vexame que já se desenhava: Reinaldo, Éder, Palhinha e Chicão foram expulsos antes dos 35 minutos do primeiro tempo e não houve como terminar o jogo. A vitória foi dada ao Flamengo, decisão que feriu as regras do futebol. Após o fim do torneio, em que o time de Wright foi campeão, a Confederação Sul-Americana de Futebol reconheceu o erro na partida.

Mas a vida continuava e, em Minas, a torcida do Cruzeiro manteve a simpatia pelo Flamengo, apoiando o time carioca nas vezes em que ele atuou em Belo Horizonte. Deixando isso de lado, Atlético voltou a faturar outros três estaduais, sagrando-se hexacampeão mineiro com os títulos de 78/79/80/81/82/83.

Diante da humilhação do hexacampeonato, a torcida cruzeirense que ainda ia aos clássicos se via acuada no Mineirão. Por diversas vezes, muitos choraram ao ver o esquadrão atleticano, formado por Éder, Reinaldo, Palhinha, Luizinho e Cerezo comandar o espetáculo.

E, diante do choro cruzeirense, a torcida atleticana passou a entoar em todos os clássicos a música que viria a ser seu segundo hino, e que hoje é repetida em todas as vitórias do clube:

Chora / Não vou ligar / Chegou a hora / Vai me pagar / Pode Chorar / É o teu castigo / Brigou comigo / Sem ter porquê / Eu vou festejar / Vou festejar / O teu sofrer / O teu penar / Você pagou com traição / A quem sempre lhe deu a mão.

Clique aqui para ouvir e festejar o hino da mais fanática torcida do Brasil na voz de Beth Carvalho.

6 Comments:

At 3:01 PM, Anonymous Anônimo said...

mais uma vez os cruzerenses, flamenguistas e corintianos vão ter que engulir a torcida do Galo, a maior torcida do brasil!

 
At 3:43 PM, Anonymous Va said...

Muito legal!!!

Valeu!!!

Galooooooooooo!!!!!!!!!

 
At 11:16 PM, Anonymous crítico said...

time sem títulooooos!!! chooora!!!

 
At 9:20 PM, Anonymous Juh said...

"Vou festejar..."
Galoooooooooooooo...
Exist torcida mais perfeita???? naum tem pra ninguem!!! Morram d invejaa....

 
At 7:56 PM, Anonymous Anônimo said...

que piada é essa? a torcida do flamengo invejar a da galinha mineira? fala merda não, seu time conseguiu se classificar pra brasileiro do ano que vem e mais nada. Meu time foi campeão da copa do brasil este ano e com direito a cantar pode chorar em pleno mineirao nas quartas de final? advinha contra quem? o eterno freguês patetico mineiro!

 
At 10:00 PM, Blogger APE76 said...

Sempre Galo!!! Abaixo as Marias!

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home